repete roupa!

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

semana 46 - um vestido listrado simplão, 4 visus da hora


gente preciso admitir que o fim do ano tá chegando, eu tô levemente de bode dessa empreitada, levemente cansada de ter que escolher uma roupa na segunda-feira já pensando na semana inteira, levemente com preguiça de ficar pensando em visu e mega afim, na maioria dos dias, de sair de calça larga e camisetão todos os dias.

ao mesmo tempo, tô feliz que cheguei até aqui - 46 semanas repetindo roupa, gente, numa média de 5 looks por semana: mandei bem. falta tão pouco pra acabar! a última vez que fiz algo até o fim foi minha pós-graduação, que terminei lá em 2015, e antes disso foi a faculdade - que fiz até o fim, mas demorei o dobro do tempo que a pessoa padrão, esse é o tipo de comprometimento que eu tenho com projetos longos - então, né, viva pra mim.

pra semana 46, que começou com entrevista de emprego e calor, escolhi esse vestido listrado, que usei pela primeira vez esse ano na semana 8 - quando ele ainda era longo. uns meses atrás decidi que ele era melhor assim, meio midi, e fiz uma barra tortíssima digna de arya stark, mas, assim como arya stark, não me importo muito.


esse vestido, pasmem, é do wal mart. custou 19 reais e comprei porque queria vestidos práticos e confortáveis pra dar aula no verão, na época que eu passava o dia todo todos os dias na escola. hoje em dia eu provavelmente não faria a compra - por motivos de estou tentando ser uma consumidora consciente de minhas escolhas, e isso inclui pensar nas origens das roupas que eu adquiro. posto isso, queria dizer que tem roupa boa e usável e bonita em qualquer lugar, até em hipermercado, em bazar de igreja, e na cesta de 1 real daquele brechó esquisito. tem que ter olho atento, paciência, e se desarmar de pré-concepções.

e é nesse espírito que vamos aos visus.

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

semana 45 - uma camisa xadrez masculina, 5 visus do conforto


a semana 45 aconteceu por uma simples questão de conforto: comecei a semana querendo me vestir de um jeito que me deixasse aquecida (tava frio) e fosse completamente confortável. essa camisa xadrez do namo me pareceu ideal: oversized, tecido gostosinho, cor linda. e a semana seguiu na mesma vibe: conforto. aquela roupa abracinho. a versao roupa pra comfort food. ou seja: tudo ótimo.

tem uma camisa xadrez grandona dando sopa por aí? vamos aos visus pra umas ideias de como usar!

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

semana 44 - um vestido tomara-que-caia, 3 visus de pré-feriado


bom, gente, vou começar dizendo que eu não sou o tipo de pessoa que, em feriados, sai pra programas diversos noturnos e diurnos, vai ao parque, ao bar, ao cinema, ao restaurante vegano da moda, à feirinha de usados e marcas sustentáveis, à balada... quando muito vou até a casa dos meus pais e do namo. e, honestamente, não preciso de look pra isso. também não preciso de look pra passear com a matilda. e é por isso que nessa semana eu vos ofereço apenas três visus com a roupa da semana: porque foram exatamente três os dias em que tive que me vestir pra "vida real". e eu sei que nas regras prometi pelo menos 5 visus com cada peça, PORÉM vocês hão de compreender que, nessa semana, isso não foi possível.

e, na real, até melhor não ter rolado porque esse vestido que escolhi (uma das últimíssimas roupas do meu guarda-roupa que ainda não usei! - e as outras três peças que faltam ser usadas são: um vestido de festa, um colete vintage de paetês e uma blusinha frente única colorida. os dois primeiros itens não usei porque ainda não tive a oportunidade, a blusinha de verão será colocada pra jogo em breve. QUE ORGULHO) não foi nada apropriado pro clima da semana. mas, melzinha, você tá nessa brincadeira há 44 semanas, não aprendeu a sempre checar a previsão do tempo antes de escolher a peça da semana? aprendi, gente, mas nem sempre a previsão acerta. e às vezes a previsão acerta mas eu erro mesmo assim, acontece.


sobre o vestido: eu não sou a maior fã da farm. acho uma loja caríssima demais pra esse visual estudante de humanas faço miçanga e escuto a banda mais bonita da cidade. acho, incrivelmente, uma loja bem pouco original. ah, eles tem estampas, bordados, rendas....... gente, procurando direito dá pra encontrar todas as roupas da farm, só que de melhor qualidade e feitas antes, em marcas gringas descoladinhas. é uma loja que copia bastante e assegura que suas cópias serão ignoradas embaixo do discurso da brasilidade das cores da fluidez. posto isso, já comprei algumas coisas da farm, normalmente em liquidação: uma saia longa que custou 60 reais mas comprei mais pelo hype do que por quão bem ela ficava em mim, alguns sapatos extremamente desconfortáveis, e esse vestido da semana 44. só ele sobrou de todas as minhas compras da farm.

e ele sobrou por um motivo interessante: o vestido tava muito barato (acho que 70 ou 80 reais), achei a estampa diferente da estética padrão da loja, PORÉM ele era grande nos meus seios. usei duas vezes e desencanei, mas minha hermana viu potencial e pegou o vestido pra ela. recentemente fui ajudá-la a organizar seu guarda-roupa e lá estava ele, agora levemente pequeno pra minha irmã, mas finalmente do tamanho certo em mim. e, voilà!


vamos aos visus? oui, mademoiselles!

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

semana 43 - uma calça pantalona preta, 5 visus tranquilões


bom gente, a semana 43 começou com entrevista de emprego e eu já comentei antes que

não
sei
me
vestir
pra
isso

fico com medo de parecer doida demais, aí exagero na seriedade e me sinto nada eu mesma, o que pode me deixar desconfortável.

aí que eu decidi a roupa com antecedência, preparei tudo no domingo, decidi que ia repetir um kimono e o visu de entrevista seria com essa calça preta e o kimono colorido pra balancear. mas aí acordei na segunda e ODIEI o kimono, o look, tudo, e me virei nos 30 com as roupas que tinha lá na casa do namo. resultado: visu preto da cabeça aos pés.


mas, melzinha, não é você que odeia se vestir de preto? sou euzinha, gente, mas nesse dia deu que eu me senti gata assim na vibe soft-goth e decidi que ia repetir a calça, já que o kimono tinha ido pro beleléu.

e foi assim que a semana se encaminhou. vamos aos visus (entrevista de emprego incluída)!

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

semana 43 - mas você parou de comprar livros? (ou: ainda sobre não gastar dinheiro e aprender a ter o suficiente)

eu amo livros, gente.

amo livros; fui estudar letras porque passava pelo menos 50% do meu tempo vivendo dentro de livros, quando eu era criança às vezes de repente eu olhava em volta e todas as amigas com quem eu tava brincando tinham desaparecido - na verdade todo mundo tinha ido brincar de outra coisa em outro lugar e eu nem percebi porque tava com a cara dentro de um livro.

em casa meus pais me incentivavam, me davam livros da biblioteca deles pra eu ler, e eu aprendi rápido que pra uma pessoa ser gostável ela tinha que ter livros. meus pais torciam a cara (e eu também) cada vez que eu voltava da casa de uma amiguinha e dizia que não havia um único livro dentro daquelas paredes. e quando o único livro que eu avistava era algum best seller do momento - paulo coelho, dan brown, crepúsculo, sei lá. porque não adianta ter QUALQUER livro, isso eu aprendi também.

o legal é ter literatura, cânone, fitzgerald e a amiga genial e talvez um ou outro murakami. o legal é ter livro do elias cannetti (mas não me perguntem se eu jamais terminei de ler). o legal é ter machado de assis, não só a capitu, mas principalmente o brás cubas e algum livro de contos também. é legal ter lido érico veríssimo, hemingway e o morro dos ventos uivantes.

eu, na adolescência, comecei também minha coleção - puramente cultural, nada consumista - de livros. eu ia a sebos que vendiam maravilhas por 3 reais e voltava carregada. comprava mais do que eu tinha tempo pra ler, porque o importante é ter o livro pra que quando eu tivesse tempo, ele já estivesse lá. já na vida adulta, frequentando a faculdade, ia na feira de livros da usp e gastava centenas de dinheiros, comparava minhas compras com a dos meus amigos, fazia com eles a cara de sofrimento de quem sabe que há pouca vida pra tanta cultura - a gente compra livro já sabendo que alguns deles jamais serão lidos.

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

semana 42 - uma saia envelope que funciona melhor como vestido em 6 visus


a semana 39 com saia envelope foi sucesso total, hit avassalador, hora da estrela, então pra semana 42 decidi tentar repetir o sucesso com mais uma saia envelope em diversas amarrações. pra todo mundo que pediu (e todo mundo que quiser pedir depois de ver esse post), tô pensando na melhor maneira de fazer um tutorial pra vocês, ensinando todas as maneiras de amarrar uma saia envelope e variar seu uso. aguardemmmmm e tenham paciência comigo, porfa! eu sou apenas uma professorinha pobre tentando fazer o melhor trabalho possível aqui no blog - mas ainda só posso lidar com isso nas minhas horas vagas, então nem tudo é possível por enquanto.


sobre a saia envelope da vez: ela é um modelo mais clássico do que a que usei na semana 39, e esse foi outro motivo pra eu querer usá-la - queria testar algumas das amarrações que deram certo com a outra saia, pra ver se com essa, que é mais volumosa e tem mais tecido, daria certo. deu tão certo que decidi nunca mais usar essa saia como saia e eternamente usá-la como vestido.

(temos mais sandalinhas de jesus? r: sim!)

vamos aos visus? yes!

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

semana 42 - sobre não gastar dinheiro e aprender a ter o suficiente


a primeira vez que eu ouvi falar sobre diminuir o consumo radicalmente foi quando descobri a great american apparel diet - uma iniciativa de uma galera de ficar 1 ano sem comprar roupas. quando eu descobri o blog, muitos já tinham terminado o ano da proibição, alguns tinham abandonado a ideia, alguns continuavam depois de dois ou três anos... o que mais gostei foi ler de uma das mulheres que tinha terminado o ano sem comprar nada que quando ela finalmente pôde sair pra comprar roupa, nada do que ela viu nas lojas a atraiu. ela não sentiu que precisava ou queria nada daquilo. e eu pensei UAU imagina não querer comprar roupa.

tentei começar imediatamente. UM ANO SEM COMPRAR ROUPA. durou uma semana. tentei de novo com menos ambição 3 MESES SEM COMPRAR ROUPA durou 3 dias. então mudei o foco: não comprar mais roupas feitas em países cujas condições de trabalho eram provavelmente precárias. isso rolou por um tempo, até porque a renner tem bastante coisa made in brazil, mas uma hora não me satisfez mais. voltei pra dinâmica de comprar qualquer coisa que aparecesse na minha frente.