repete roupa!: semana 25 - o tênis do kanye west

domingo, 25 de junho de 2017

semana 25 - o tênis do kanye west


eu acho que julgar pessoas por comprarem o que querem (independentemente se o dinheiro veio dos pais, se a pessoa não precisa trabalhar, se economizou por um ano ou se vai se endividar por um ano) é sempre complicado, porque envolve ver as coisas da nossa perspectiva. eu ficaria numa fila pra comprar um tênis assinado pelo kanye west? com certeza não. eu ficaria numa fila pra comprar um item da elsa schiaparelli original sendo vendido unicamente e exclusivamente em uma data específica pela quantia de 1200 reais? talvez. se eu tivesse o dinheiro. pensando bem, pela elsa schiaparelli eu até topava me endividar. (lembrando que um item schiaparelli pertence em um museu e jamais estaria à venda por essa quantia módica).


por quê? porque eu estaria investindo meu dinheiro numa peça de roupa histórica, assinada por uma das estilistas mais consagradas e inovativas da moda ocidental - essa peça de roupa vale tanto quanto uma obra de arte. essa peça de roupa É uma obra de arte. que eu posso vestir. e exibir pra todos. e falar "É DA ELSA SCHIAPARELLI". e chances são de que se eu quisesse revender essa roupa alguns anos depois, ela valeria ainda mais. (bem diferente daquele sapato de plástico da melissa que a gente acha que super vale e quer revender por preço de novo, sabe? não vale nada: é plástico, é fast fashion, é consumo puro).

quem pode garantir que daqui a algumas décadas um tênis assinado pelo kanye west de tiragem limitada e venda exclusiva não terá o status de obra de arte de uma roupa da schiaparelli? ninguém pode garantir, e sendo o mundo contemporâneo motivado por mídia e entretenimento é bem capaz de que esse tênis seja realmente valioso no futuro. ainda assim, eu, melzinha, em 2017, não gastaria 1200 reais num tênis da adidas. nem em tênis nenhum, já que estamos nessa. nem em marca nenhuma (a não ser se fosse vintage, como estabelecido pelo exemplo da elsa schiaparelli). talvez tenha gente já pensando na revenda do tênis - que pode ser mês que vem por 4000 michelzinhos ou daqui 50 anos por 14000 michelzinhos (apenas supondo esses valores, ok, não manjo de moda esportiva nem de tênis e muito menos de roupa assinada por músico - até onde eu sei músicos fazem música e estilistas fazem roupas e sapatos)

não posso afirmar com certeza se esse tênis vale o preço pelo qual está sendo vendido (mentira posso sim: não vale. a não ser que todos na cadeia de produção tenham sido remunerados de maneira decente e tenham tido condições de trabalho humanas. e que a matéria-prima tenha sido utilizada de maneira consciente com o menor impacto possível no meio-ambiente. como não sei de nada disso e inclusive duvido muito, o tênis não vale isso), e também não sei dizer se esse sapato vai realmente valer alguma coisa no futuro. a assinatura de uma celebridade não tem real significado na moda - o produto de moda que tem valor é aquele que desafia o pensamento padrão do vestir, influencia de maneira clara a maneira das mulheres se vestirem (homens, me dscpm mas vocês se vestem do mesmo jeito em qualquer época, só que cada vez com menos elegância), e continua sendo relevante e memorável décadas depois de sua manufatura.

um tênis esportivo raramente tem esse papel (salvando-se exceções: o all-star converse mudou paradigmas no mundo dos tênis, né, mas ao mesmo tempo ninguém compra all-star vintage porque eles são de qualidade péssima e não duram muito - é um produto que tem valor simbólico e histórico, mas pouco valor monetário). e eu sei que agora tá na moda usar tênis, ter tênis, falar de tênis (isso tudo muito relacionado ao conforto que é também uma tendência na moda do momento), mas dizer que os tênis que estão sendo vendidos por aí tem o peso, o valor, a importância que o chapéu de sapato de schiaparelli teve, aí já é ir bem longe.

quanto ao tênis do kanye west, nunca vi nem comi eu só ouço falar, mas pra mim é bem óbvia a estratégia das empresas e marcas pra nos convencer a querer ter algo. assim como nos blogs de moda, em que a gente se sente próxima daquelas mulheres, acredita nos "conselhos de compras" que elas dão, e clicamos no linkzinho sem nem pensar se ela está sendo paga pra divulgar aquilo, as marcas usam celebridades pra nos fisgar do mesmo jeitinho. como fazer as pessoas comprarem mais um par de tênis? bota uma assinatura do rapper do momento, que atrai os consumidores e ainda por cima te dá a oportunidade de cobrar um preço abusivo. como fazer uma pessoa entrar na renner e gastar 600 numa jaqueta cheia de penduricalhos brilhantes? diz que a jaqueta foi assinada por um estilista qualquer. ou por alguma celebridade que nunca teve nenhuma relação com design de moda. isso vende.

mais do que julgar quem tá na fila pra comprar um tênis de mais de mil reais, é preciso entender como essas pessoas chegaram lá. essas pessoas não são inimigas, nem burras, nem cegas, mas sim vítimas de um sistema de consumo que nos convence que seremos melhores trazendo coisas pra dentro de casa. não posso questionar as motivações pessoais de cada um pra comprar o que compram, e não posso dizer que as pessoas não sabem o que querem. elas sabem o que querem. porque alguém disse pra elas que elas querem um celular novo da empresa que faz todos seus produtos serem obsoletos depois de alguns anos. alguém disse pra elas que é imprescindível ter o tênis do kanye west. mas mais do que isso, a gente acredita que a ideia foi nossa. a coisa toda é feita de um jeito pra pensarmos que não somos manipulados, que fazemos nossas próprias escolhas e entre essas escolhas está como iremos gastar nosso dinheiro.

é legal se perguntar: eu compraria isso em outra época, com outra idade, se não fosse da adidas, se não fosse do kanye? eu tô comprando pelo símbolo ou pelo uso?

eu, por exemplo, compraria - se me fosse disponibilizada - uma peça da elsa schiaparelli em qualquer época da minha vida. pelo símbolo E pelo uso. não compraria o chapéu de sapato, pois não uso chapéu e muito menos chapéu surrealista, mas compraria um vestido, uma jaqueta.... porque é uma roupa-símbolo, e esse símbolo tem valor atemporal. é um símbolo que representa uma época da moda que foi o início de como nos vestimos hoje.

já a assinatura do kanye west, ainda teremos que por à prova.



ps: acabei de procurar no google fotos desse tênis do kanye west, e plmdds, que coisa horrorosa. vocês são todos loucos.

4 comentários:

Fernanda Alves disse...

Eita porra, o tênis é feio mesmo. É de moletom?
Estava por fora da notícia em si, mas o seu texto, ó: chuchuzinho. Eu sempre compro roupas pela Fernanda que me tornarei quando usá-las. Será uma Fernanda executiva? Uma Fernanda moderna? Uma Fernanda mãe-descolada-que-come-orgânicos? Não sei, o fato é que comprar tem esse poder sobre a gente, disseram que nos faz sentir diferente e a gente acredita.

Beijos, sua linda.

Adriana Nascimento disse...


Que legal o seu texto Melody. Reflete bastante o que eu acredito.
Sabe, você poderia escrever sobre combinações de cores! Qual combina com qual. Também sobre sapatos! E sobre dicas de livros sobre moda.

Adriana

mel disse...

sugestões anotadas, adriana! tenho um post sobre sapatos escrito pela metade há algumas semanas, mas trvavei! vou tentar retomá-lo haha

Anônimo disse...

"vocês são todos loucos" HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHUAHDUAHO

MEL <3