repete roupa!: semana 38 - uma camiseta pintada à mão, 5 visus apropriados pro calor

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

semana 38 - uma camiseta pintada à mão, 5 visus apropriados pro calor


foi assim: um dia cheguei na escola e uma aluna, ao invés do uniforme, tava usando essa camiseta de et. eu apenas: PIREI???? quem me conhece sabe que eu sou meio fissurada por tudo que envolve vida alienígena - um interesse que começou na infância, numa tentativa de ter algo em comum com meu pai, e continua até hoje após um pequeno (mentira, gigantesco) vício em arquivo x, autores clássicos de ficção científica e filmes de encontros da humanidade com seres extraterrestres.

bom, não hesitei: pedi por favor pra minha aluna me emprestar a camiseta, e ao ter meu pedido atendido descobri coisas legais sobre ela: o et foi pintado à mão por algum aluno que, na época, estava no 3º ano do médio. junto com outras camisetas pintadas à mão, ela foi vendida pros próprios alunos do colégio pra financiar a formatura do terceirão (quem aí tem lembranças dessa fase tenebrosa da vida? eu pedi pras minhas memórias dessa época serem cirurgicamente removidas, apenas). minha aluna comprou, o que é muito legal pois: incentiva a produção artística da comunidade local (a escola, no caso), evita comprar roupa de fast fashion (pelo que percebo as lojas tão tudo cheia de roupa com et, ovni, planetinha, etc), colabora com o financiamento de uma viagem que, de outra maneira, teria que ser paga pelos pais dos alunos. isso, claro, ajuda os adolescentes a entender que as coisas não aparecem na nossa vida do nada: até uma viagem puramente de lazer tem trabalho por trás, dedicação pra escolher em conjunto com 30 pessoas o destino da viagem, dedicação pra entender quanto de grana é preciso pra fazer a ideia acontecer, dedicação pra decidir como juntar a grana - isso envolve entender habilidades e talentos pessoais e monetizá-los, coisa que, ó, eu só tô começando a tentar fazer agora com quase 30 anos -, e empreendedorismo pra realmente ir lá, botar a mão na massa e fazer. uma camiseta, tanta coisa legal por trás.


e, ao pedir que minha aluna me emprestasse a camiseta pra eu usar por uma semana, outras questões tão sendo colocadas e aprendidas. eu podia ter achado a camiseta incrível e procurado alguma similar pra comprar. eu podia ter feito minha própria versão, o que seria, claro, demais, mas envolveria gastos que eu não quero ter: comprar uma camiseta, tintas pra tecido, etc. eu podia pegar uma camiseta velha do meu pai, os restos de tinta de tecido da minha irmã, e fazer uma do zero sem gastos, mas isso significaria mais um peça de roupa no meu armário, ou seja, um acúmulo de algo que eu, realmente, não tô precisando. ao pegar a camiseta emprestada, eu tô provando pra mim mesma que dá pra curtir uma roupa sem querer, necessariamente, possuí-la. porque, honestamente, eu não quero! e isso não é lindo? chegar num momento de compreensão da minha relação com roupas em que eu posso amar de paixão uma camiseta, usá-la por uma semana com muita felicidade, e ainda assim, no fim da experiência, não querer comprar uma. não querer TER uma. porque ela me acompanhou durante a semana, me fez feliz, mas não é uma felicidade que eu sinto que preciso ter pra sempre.

e nesse espírito de auto-compreensão, vamos aos visus!

  • segunda, 18 de janeiro

QUE CALOR, gente. nessas temperaturas fica difícil querer brincar com sobreposições - tudo que eu queria era ser coberta pela menor quantidade de tecido possível. como a camiseta é masculina e grandona, quis balancear com uma saia SENÇUAL - que até agora só tinha aparecido por cima de outras saias ou vestidos. essa sandália "flatform" tem sido minha mega companheira em quase todas as situações, porque ela é tão prática quanto um chinelo (só colocar o pé e sair) porém bem mais agradável de olhar.


  • terça, 20 de janeiro

o calor continuou então segui simples: troquei a saia assimétrica por uma saia apropriada pra dar aula pros meus pequerruchos, as sandálias de plataforma por sandálias apropriadas pra passar o dia de pé e andando, e fiz um "coque" no lado da camiseta só pra dar uma variada no ~~styling~~. isso não é um nó, é literalmente um coque: prendi com um elástico de cabelo hahahah.


  • quarta, 21 de janeiro



minhas aulas particulares foram transferidas da quarta pra sexta, então nessa quarta fiquei meio de bobeira e decidi lidar com umas tarefas informais que eu tava adiando. dia de calor sem trabalho é dia de usar minissaia, cês num acha? aproveitei as pernocas de fora pra deixar a camiseta bem freestyle mesmo, nem dobrar as manguinhas pra fazer um charme eu dobrei.


  • quinta, 22 de fevereiro

uma das minhas alunas viu minhas fotos da semana 36 e pediu por favor pra eu ir dar aula com a saia envelope pra ela ver (eu só dou aula nessa escola às quintas, e na semana 36 quinta foi um feriado então minha aluna só viu a roupa virtualmente). eu faço tudo que meus alunos mandam (tô até hoje tentando ser popular na escola - ser popular é bem mais fácil na vida adulta, gente), então combinei a saia vintage pintada à mão com camiseta modernete pintada à mão, tudo nesse verde que começo a achar ser o único tom de verde disponível em tinta pra tecido, mas, né, talvez tenha sido apenas coincidência. amarrei a camiseta nas costas pra ela ter esse efeito mais justinho e pra dar uma variada na silhueta.


  • sábado, 23 de feveiro

minhas aulas particulares, que tinham sido transferidas pra sexta, foram canceladas (reveses de dar aula particular: os alunos cancelam 80% das aulas), então na sexta passei o dia de pijama. no sábado eu e namo fizemos coisas de sábado: almoçamos num restaurante japonês, passeamos com a matilda, essas coisas meio desimportantes, e eu passei o dia assim: shorts e camisetona.



no domingo não teve visu propriamente dito - teve uma variação desse look aqui, que chamei de meu uniforme de quando não quero pensar em roupa, mas com a camiseta da semana. só vesti a roupa depois que tiramos a foto, mas aqui tem uma ~~candid pic~~ pra quem estiver curiozzy.


hoje começou semana 39 e tô repetindo uma saia de brechó que, né por nada não, é diva demais. dá pra acompanhar os visus em tempo real no stories do meu instagram, ou colar aqui na segunda que vem pra ver tudo!


3 comentários:

Anônimo disse...

Hahahahaha! tudo nesse verde que começo a achar ser o único tom de verde disponível em tinta pra tecido. hahahahahah, kkkkkk todas as guargalhadas do mundo

Anônimo disse...

AMO cada vez mais seus textôes, mais que as combinações e repetições de roupas que continuam sendo alternativas (vc não gosta do "alternativo"...) demais.
Seus textos trazem sentimentos fortes (gostoso de lembrar) e imagino que QUALQUER mulher do sexo feminino já tenha passado.
- Beleza na infância, leia "feiurinha"
- Profissão acidental
- Primeiro trabalho para conseguir uma grana
- Desejo de se afirmar
- Necessidade de ser admirada pela família
- Importância do consumo consciente
- Mais com menos
Leio todos e digo, virei fã de carteirinha.


Beatriz disse...

Nossa, como o visu da segunda alongou sua silhueta! Adorei.